Bem Vindo ao Ranário Mandala
Imprimir E-mail

CURSO COMPLETO DE RANICULTURA

Prof. Haroldo Paulo ( Zootecnista )
fundador e dono do Ranário Mandala desde 1987

 

Preço Módulo 1 : R$ 800,00 ( acompanhante desconto de 20% )

Preço Módulo 2 : R$ 1.100,00 ( acompanhante desconto de 20% )

Preço Módulo 1 + Módulo 2 ( DESCONTO ) : R$ 1.520,00 ( acompanhante desconto de 20% )

INSCRIÇÃO por depósito bancário : 50% do valor do curso

PAGAMENTO RESTANTE : No dia do curso, na entrega das apostilas

Acompanha apostila e certificado

Preço especial para grupos

Local do curso : vou ao encontro do aluno

O custo pelo transporte + alimentação + estadia é por conta do aluno

Duração do curso :

Módulo 1 : 2 dias ( máximo )
Módulo 2 : 2 dias ( máximo )

CONTEÚDO DO MODULO 1 :

01 - HISTÓRICO DA RANICULTURA

02 - CONHECENDO O QUE VAMOS CRIAR :

A Caracterização dos anfíbios
Principal característica para o criador
Característica dos animais ectotérmicos
Fases de desenvolvimento : pós-larvas, girinos, imagos e rãs
Divisão do anfíbios em 3 ordens :Urodela, Apode e Anura
As rãs : Famílias Ranidae, Pipidae e Leptodactylidae
Os sapos : Familia Bufonidae
Pererecas: Familia Hylidae
Diferenças marcantes entre sapos, rãs e pererecas
As rãs nativas
Por quê não criamos as nativas ?
A Rã Touro Gigante
Diferença da rã touro gigante para as nativas
Dismorfismo sexual
Reprodução
Ciclo Evolutivo

03 - ESCOLHA DA ÁREA PARA CONSTRUÇÃO DO RANÁRIO

Topografia
Tipos de solos
Clima

04 – SISTEMAS DE CRIAÇÂO

Sistema semi-seco
Sistema inundado
Sistema alagado
Sistema em prateleiras
Sistema em piscinas
Sistema Ranaflat

05 - COSTRUÇÃO DE UM RANÁRIO

Diferença entre a construção de ranário em placas pré-moldadas e tijolos
Plantas : Ranário pequeno, médio e industrial
Exemplos de construção : mantença, reprodução, girinagem, engorda e setor de produção de alimentos vivos

06 - A ÁGUA

A água
Procedência
Natureza do solo
Parâmetros a serem observados na qualidade da água

07 - MANEJO NO SETOR DE REPRODUÇÃO

Seleção dos reprodutores
Sequência de manejo
Desova e pós-larvas

08 - MANEJO NA GIRINAGEM

Setor de girinagem
Fluxograma de manejo
Tabela de ração
Classificação do Girino
Volume de água por girino
Manejo da água nos tanques de girinagem
Utilização do coletor

09 - MANEJO NA ENGORDA

Setor de engorda
Fluxograma de manejo
Tabela de ração
Triagem
O imago

10 - MANEJO NA REPRODUÇÃO

Escolhas dos reprodutores
Setor de reprodução
Fluxograma de manejo
Desova
Manejo na desova

11 - MANEJO NO SETOR DE PRODUÇÃO DE ALIMENTO VIVO

Setor de produção de alimento vivo
Fluxograma de manejo
Problemas encontrados
Vantagens do alimento vivo
Ciclo de vida : ovo, larva, pulpa e mosca adulta
Separação de larvas para empulpagem
Moscário tradicional

12 - MANEJO PREVENTIVO DE ENFERMIDADES

Medidas Preventivas nos Setores de Reprodução e Recria
Características que Indicam Enfermidades

13 - VIABILIDADE ECONÔMICA

14 - RECEITAS

15 - ENSAIOS EM SALA DE AULA

Cálculo de viabilidade econômica do plantel, quanto custa o quilo de carne para o criador.

16 - VÍDEOS VARIADOS

CONTEÚDO DO MODULO 2 :

01 - A ÁGUA

Parâmetros físicos e químicos da água
Aplicação dos parâmetros físicos e químicos da água em ranários
Qualidade físico-química da água
Classificação da água
Interpretação dos índices : alcalinidade, amônia, CO², cloretos, condutividade, contagem de coliformes, dureza, ferro, fósforo, nitrito, nitrato, O², Ph, temperatura e turbidez

02 - ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA ( EM SEQUÊNCIA DE ETAPAS )

Gradeamento
Sedimentação simples
Filtração
Aeração
Desinfecção ( processo físico – químico ) : carvão ativado, radiação Ultravioleta, ozônio (O³ ) e cloração ( Forma química )
Como montar a custo reduzido equipamentos para melhorar a qualidade da água

03 - COSTRUÇÃO DE UM RANÁRIO EM PRÉ-MOLDADOS

Ferramentas Utilizadas
Etapas da construção no sistema de pré-moldados : mantença, reprodução, girinagem, engorda e setor de produção de alimentos vivos
Detalhamento da obra da fundação ao telhado
Materiais alternativos
Particularidades do uso da plasticultura na ranicultura

04 - ENFERMIDADES

Doenças não infecciosas
Doenças infecciosas
Doenças causadas por fungos
Doenças causadas por protozoários
Doenças causadas por helmintos
Doenças causadas por crustáceos
Envio de material para laboratório
O que procurar nas inspeções

05 - MEDICINA PREVENTIVA

Desinfecção na ranicultura
Particularidades da rã que influenciam na desinfecção
Princípios de desinfecção e conceitos
Anti-sépticos e desinfetantes
Germicida
Tempo de contato
Limpeza mecânica prévia
Resistência bacteriana
Agentes anti-sépticos e desinfetantes
Esquemas de desinfecção
Medidas preventivas

06 - REPRODUÇÂO ARTIFICIAL

Materiais para a indução
Baias de aclimatação
Preparo dos animais
Aplicação do Hormônio nas fêmeas
Aplicação do Hormônio nos machos
Seqüência das etapas
Procedimento
Marcação do animal

07 - COLOCAÇÃO DO PRODUTO NO MERCADO E SUA LEGISLAÇÃO

Mercado mundial da carne de rã
Exportadores mundiais de carne de rã
Apresentação do produto
Proposta de normas higiênico-sanitárias de abatedouro de rãs para pequenos e médios produtores
Planta de tipo de abatedouro de rãs

08 – CURTIMENTO DA PELE

A pele da rã, comportamentos mercadológicos
Etapas do curtimento
Curtimento de peles
Conservação de peles
Instrumentos usados no curtume
Produtos utilizados no curtume
Etapas do curtimento
Etapas do acabamento

09 - VÍDEOS

Sistema inundado em Taiwan
Ranicultura em Cuba
Reprodução artificial

10 - ENSAIOS EM SALA DE AULA

Marcação de reprodutores com corte de falange
Cálculo de dosagem e aplicação de hormônio visando a reprodução induzida

CURRÍCULO de Haroldo Paulo de Souza Maranhão

FORMAÇÃO

Graduado em Zootecnia – FAGRAM ( Faculdade de Ciências Agro-Ambientais ) – Pg. 15. Seção 1. Diário Oficial da União (DOU) de 09/03/2011

PARTICIPAÇÃO EM CONGRESSOS E SEMINÁRIOS

  • VI Encontro Nacional de Ranicultura - de 7 a 12 de agosto de 1988 – Rio de Janeiro - RJ
  • VII Encontro Nacional de Ranicultura - de 6 á 9 de abril de 1992 – Rio de Janeiro - RJ
  • VIII Encontro Nacional de Ranicultura & 1st. International Meeting on Frog Research and Technology – de 3 á 8 de fevereiro de 1995 – Viçosa - MG
  • IX Encontro Nacional de Ranicultura & II International Meeting on Frog Research and Technology – de 19 á 23 de julho de 1997 – Santos - SP
  • X Encontro Nacional de Ranicultura – de 26 á 30 de setembro de 1999 – São Miguel do Iguaçu – Paraná
  • XI Encontro Nacional de Ranicultura – de 16 á 19 de julho de 2001 – Bragança Paulista – SP
  • II Seminário de Ranicultura do Estado do Rio de Janeiro e I Ciclo de Debates – de 5 á 7 de dezembro de 1990 – Rio de Janeiro – RJ
  • III Seminário de Ranicultura do Estado do Rio de Janeiro e II Ciclo de Debates – de 30 de outubro á 1 de novembro de 1996 – Rio de Janeiro – RJ

PARTICIPAÇÃO EM CURSOS

  • Curtimento de pele de Rã – realizado durante VI Encontro Nacional de Ranicultura - de 7 a 12 de agosto de 1988 – Rio de Janeiro - RJ
  • Instalação e Manejo no Sistema Afrigranja – realizado durante VIII Encontro Nacional de Ranicultura & 1st. International Meeting on Frog Research and Technology – de 3 á 8 de fevereiro de 1995 – Viçosa – MG
  • Sanidade e Manejo Sanitário – realizado durante VIII Encontro Nacional de Ranicultura & 1st. International Meeting on Frog Research and Technology – de 3 á 8 de fevereiro de 1995 – Viçosa - MG
  • Curtimento de peles – realizado durante VIII Encontro Nacional de Ranicultura & 1st. International Meeting on Frog Research and Technology – de 3 á 8 de fevereiro de 1995 – Viçosa - MG
  • Manejo Sanitário de Criação de Rãs – realizado durante XI Encontro Nacional de Ranicultura – de 16 á 19 de julho de 2001 – Bragança Paulista – SP
  • Qualidade da água – realizado durante XI Encontro Nacional de Ranicultura – de 16 á 19 de julho de 2001 – Bragança Paulista – SP

PARTICIPAÇÃO COMO PALESTRANTE

  • II Encontro Municipal de Difusão Tecnológica da Ranicultura ( Desenvolvimento da Ranicultura ) – Assunto: “Manejo de Moscário” ( Emater Magé ) – 14 de agosto de 1998 – Magé – RJ
  • V Encontro de Ranicultures em Itaboraí – Assunto: “Indução de Ouvulação e Espermeação em Rã-Touro” – ( Faculdade de Veterinária Plinio Leite e Emater Itaboraí) – 24 de novembro de 2000 – Itaboraí – RJ
  • II Encontro de Ranicultores de Itaboraí – Assunto: “Construção econômica e Manejo de Ranário” – ( Faculdade de Veterinária Plinio Leite e Emater Itaboraí) – 24 de setembro de 1997 – Itaboraí – RJ
  • 1º Encontro Globo.com / Barra Point de gastronomia e produtos da Serra – Assunto: “ Ranicultura ” ( Barra Point – Shopping Center ) – 25 de setembro de 2000 – Rio de Janeiro – RJ
  • Dia Especial sobre Ranicultura – Assunto: “ Instalação e Manejo numa Ranicultura” ( Faculdade de Veterinária Plinio Leite e Emater Itaboraí ) – 23 de agosto de 1996 – Itaboraí – RJ
  • Encontro Técnico ( Ranicultura ) – Assunto: “ Construção e Manejo de Ranário” ( Emater Caxias ) – 1 de agosto de 1997 – Duque de Caxias – RJ
  • Dia Especial de Ranicultura – Assunto: “ Manejo e Instalação” (Emater Magé ) – 5 de junho de 1996 – Magé – RJ
  • XII ENAR ( Encontro Nacional de Ranicultores ) e o III International Meeting on Frog Research and Tecnology – Assunto :”Tecnologia de Produção de Imagos” - 07 à 09 de Julho de 2011 - Uberlândia - MG

PARTICIPAÇÃO EM COOPERATIVAS E ASSOCIAÇÕES

  • ARERJ – Associação dos Ranicultores do Estado do Rio de Janeiro – Membro do departamento técnico no exercício em 1991
  • ARERJ – Associação dos Ranicultores do Estado do Rio de Janeiro – Membro do Conselho deliberativo no exercício em 1993
  • Cooperran - Rio – Cooperativa dos criadores de rã do Estado do Rio de Janeiro – Sócio Fundador em 1993
  • Coopercramma – Cooperativa dos criadores de rã de Cachoeiras de Macacu, Magé e Adjacências LTDA. – Sócio Fundador e Diretor Técnico no primeiro exercício 1998
  • Acrãma – Associação dos criadores de rã de Magé e Adjacências – Associado Fundador em fevereiro de 1997 e Diretor Técnico no primeiro exercício

ATUAÇÃO COMO INSTRUTOR DE CURSOS COM PARCERIA COM O SENAR E SINDICATO RURAL DE MAGÉ, ITABORAÍ E GUAPIMIRIM

Período de 1996 a 1997
Curso : Trabalhador na ranicultura ( aperfeiçoamento )

 

  • Quantidade de cursos administrados em MAGÉ: 7
  • Quantidade de cursos administrados em ITABORAÍ : 10
  • Quantidade de cursos administrados em GUAPIMIRIM : 1

 

© 2011 Ranário Mandala - Todos os Direitos Reservados.
Com Excessão do Link "Galeria de Imagens", as imagens usadas no site são meramente ilustrativas.

ACESSOS
Top